Em crise, Amazonas deve começar a vacinação contra a Covid-19 nesta terça-feira (19)

Avião da FAB transporta doses da vacina da CoronaVac para Manaus

Avião da FAB transporta doses da vacina da CoronaVac para Manaus (foto: divulgação FAB)

Com falta de oxigênio, estado tem recebido apoio de empresas, personalidades e anônimos

Em meio a uma grave crise sanitária, o Amazonas vive a expectativa para o começo da vacinação contra a Covid-19. O estado vai receber 306 mil doses da CoronaVac e deve iniciar a imunização dos grupos prioritários nesta terça-feira (19). O caos que atingiu as unidades de saúde com a falta de oxigênio para os pacientes comoveu o Brasil e o mundo. Uma grande rede de solidariedade foi montada unindo personalidades, anônimos, instituições e empresas. 

A Associação do Polo Digital de Manaus (APDM) e a Fundação Amazônia Sustentável (FAS), entidades parceiras do Somos Todos Amazonas, estão com campanhas de arrecadação de recursos. Veja abaixo como ajudar. 

A Aço Verde do Brasil (AVB) fez uma parceria com a White Martins para doar 300 mil metros cúbicos de oxigênio. Empresa familiar, do grupo Ferroeste, fica no interior do estado do Maranhão e tem sua própria planta de oxigênio. Sensibilizados com a situação do Amazonas, resolveram doar os tambores do gás, fechando parceria com a White Martins, uma das maiores produtoras de oxigênio no Brasil, que ficará responsável pelo deslocamento dos 28 mil cilindros até Manaus. 

O cantor Gusttavo Lima fretou um Boeing 737 para levar 150 cilindros de oxigênio a Manaus. Personalidades internacionais, como a cantora americana Demi Lovato, chamaram atenção nas redes para a situação. Demi fez apelo nas mídias sociais por ajuda através de doações para conter a crise. 

No fim de semana, aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) chegaram a Manaus com 22 mil metros cúbicos de oxigênio. Está previsto para chegar, na noite desta segunda-feira (18), um carregamento de 107 mil metros cúbicos de oxigênio, doado pelo governo da Venezuela. Em coletiva em Brasília, o governador Wilson Lima (PSC) afirmou que, neste momento, o estado conseguiu equilibrar a distribuição de oxigênio.

Além da escassez de oxigênio, faltam outros itens essenciais nas unidades de saúde como:

– Concentradores de O2 de 10 litros por minuto;

– Oxímetros de dedo;

– Termômetros infravermelhos;

– Máscara VNI tipo NV; 

– Máscara com reservatório;

– Cateter de oxigênio;

– Tomada (Y) para cilindro de oxigênio.

Outra ação adotada na crise foi a transferência de pacientes para outros estados e para o DF. Segundo o Ministério da Saúde, entre 85 e 90 pessoas já foram transferidas. A previsão é que o número chegue a 235. Já os bebês prematuros, que também precisam de oxigênio, não foram transferidos a outros estados, uma vez que houve reposição de cilindros com o gás. 

A grave crise de falta de oxigênio em Manaus começou na semana passada. Pacientes morreram asfixiados. O consumo de oxigênio diário durante o pico atual de internações passa dos 70 mil metros cúbicos, número bastante distante dos 15 mil metros cúbicos que o estado estava acostumado antes da pandemia. A capacidade de produção local é de 28 mil metros cúbicos diariamente. A dificuldade de transporte e logística dos cilindros de oxigênio é mais um dos fatores que preocupa, uma vez que aviões comerciais não são aptos a carregar os tambores contendo o gás, correndo o risco de explosão. 

Para contribuir, abaixo estão contatos de instituições apoiadas pelo Somos Todos Amazonas:

Associação Polo Digital de Manaus:

Banco Itaú

Ag- 7163

Cc – 38369-3

CNPJ – 36.724.681/0001-88

Ou

Chave PIX – 36.724.681/0001-88

 

Aliança Covid Amazonas FAS

PIX – 09351359000188

Leia mais:

Prefeitura de Manaus anuncia nova estratégia de vacinação para profissionais de saúde

Campanhas de parceiros do Somos Todos Amazonas ajudam em momento crítico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *